sábado, 26 de março de 2016

Viver para sempre

Quero mais do que só estar de passagem. Quero viver para sempre. Quero viver para sempre no coração e na alma de alguém. Das pessoas. Das pessoas com quem na vida tiver a sorte de me cruzar. Tiver a sorte de amar. Quero ser mais do que aquilo que agora sou. Quero aprender, evoluir. Quero sentir e fazer sentir. Quero mais do que só estar de passagem. Quero viver para sempre. Quero viver para sempre junto daqueles que mais amo. Daqueles que contribuem para tornar a minha história algo memorável, algo that was meant to be. Quero estar rodeada de pessoas que me elevem, que me façam querer ser melhor, que me façam ter a certeza absoluta de que vale a pena viver. E de que viver é bom. É maravilhoso. Quero ter a minha alma e o meu coração cheios. Contribuir para o preenchimento do coração e da alma de alguém. De quantas pessoas me for confiado ter esse privilégio. Quero mais do que só estar de passagem. Quero viver para sempre. Quero viver para sempre no coração e na alma de alguém. Quero viver para sempre. Quero viver para sempre junto daqueles que mais amo. 
Daqueles que contribuem para tornar a minha história algo memorável, algo that was meant to be.
Daqueles que me fazem querer ser melhor, que me fazem ter a certeza de que vale a pena viver. 
E sonhar. E cantar. E sorrir. E dançar. E observar, E aprender. E sentir. E amar. 
E de que é tão bom. 
É maravilhoso.

segunda-feira, 21 de março de 2016

Nua eu danço

Estou no duche. Deixo a água quente correr sobre mim, levar das minhas costas, da minha mente todo o peso. Estou no duche. Nua como a minha alma. Fecho os olhos. Sinto a música, sinto a água, sinto e não sinto enquanto mil e uma histórias e pessoas passam por mim. Revivem-se em mim. E sorrio. Danço. Sorrio e danço, nua como a minha alma livre. Com a água quente a correr sobre mim. Sorrio e danço como brinde aos se's e que's e porque's e sins e nãos e tudo o que de bom e mau houver para brindar a. Como se fosse a minha última dança. Estou no duche. Livre. Sorrio. Danço. E digo adeus a tudo o que me faz mal. 

sexta-feira, 18 de março de 2016

Origem

É isto que sou. É esta a minha casa. Sou o verde dos belos, extensos campos retalhados e o azul do mar. Sou a imensidão de quem sente e de quem vive, de quem ama. Sou da paz que aqui se sente, da força sublime com que a Natureza tanto nos presenteia. Sou dos Açores. Sou Açoriana. Sou Terceirense. Sou Altarense. E leve-me a vida pra onde me levar, leve eu a vida para onde desejar, serei sempre daqui. Serei sempre dos Açores. Serei sempre eu. Serei sempre Açoriana. Serei sempre Terceirense. Serei sempre Altarense. Serei sempre o verde dos belos, extensos campos retalhados e o azul do mar. E esta será sempre a minha casa, o meu berço de beleza indescritível. Tenho saudades. Tantas saudades. Mas há uma magia que se mantém sempre comigo. Cá dentro. Então, posso continuar. Sem temer. 


Para a frente, Açorianos! Pela paz à terra unida. Largos voos, com ardor, firmamos, para que mais floresçam os ramos da vitória merecida. Para a frente! Lutar, batalhar pelo passado imortal. No futuro a luz semear de um povo triunfal.



heart emot

quinta-feira, 17 de março de 2016

Jogos vorazes

Irónico, não é? Escrevo porque me magoaram, mas no fundo não me sinto satisfeita. Escrevo porque me magoaram mas sinto-me duplamente, triplamente magoada por ter razão para estar magoada. Preferia estar magoada sem razão. Lixar-me para a cena. Parece que finalmente alguém foi capaz de me magoar o suficiente para o que escrevo nunca ser o suficiente para me impedir de imaginar... O sítio, os toques, os possíveis sorrisinhos e elogios superficiais e sem alma, sem verdade...
Estou a entrar num mundo que não conhecia. Jogos perigosos que não fazem correr sangue. Fazem correr dor. Fazem correr falta de amor. Estou a entrar num mundo que não conhecia, encaro os jogadores mas não os conheço. Entro no jogo mas não sei jogar. Acabo sempre por perder. Estou a entrar num mundo que não conhecia. E isso consome-me. Não ter o controlo consome-me. Por outro lado... O controlo excessivo deste mundo irrita-me. A falta de amor irrita-me. A falta de comunicação irrita-me. A falta de sentimentos irrita-me. A dormência irrita-me. A falta de perspetiva cansa-me. A falta de entrega.
Não serem capazes de se comprometer com nada nem, principalmente, com ninguém. Não serem capazes de ver mais além. Querem e estudam para ter altas carreiras, dinheiro na carteira, para chegarem a altos patamares profissionais, para poderem dizer que têm um curso superior, mas não são capazes de aproveitar a jornada. Não são capazes de manter na vida delas as pessoas. Não são capazes de compreender que no fim de uma vida quem fica são aqueles que tivemos coração, alma e coragem para amar.
Sim, estou magoada. E sim, it sucks. E não, não tenho vergonha, não tenho qualquer problema em admiti-lo. Mais vale experienciar, sentir, pensar, viver a mágoa como para nós é possível, preferível ou até mesmo necessário e ultrapassar tudo de uma vez por todas. Deitar para trás das costas, atirar tudo para aquele precipício sem fundo.
Sim, coragem para amar. No amor, penso acredito defendo que existem compromissos que não, não precisam de ser selados com uma aliança. São selados com o bom senso. Com o caráter, com a confiança dada e também em nós depositada. Com a livre vontade de colocar um pouco de nós de lado só porque... Não somos o centro do universo. Mas porque para e por nós... O universo foi feito. Nós. Todos. Não só tu, eu, o teu ou o meu ou aquele ou o outro desejo carnal. Não só tu, eu, o teu ou o meu ou aquele ou o outro medo de sairmos magoados de uma situação.
Sem o amargo, jamais podemos conhecer o doce...
Estou a entrar num mundo que não conhecia. Jogos perigosos que não fazem correr sangue. Fazem correr dor. Fazem correr falta de amor. Estou a entrar num mundo que não conhecia, encaro os jogadores mas não os conheço. Entro no jogo mas não sei jogar. Acabo sempre por perder. Mas no fim... Acabo sempre por também sair a ganhar. Amén!

Teias de toques penetrações orgasmos e masturbações

Nojo nojento nojentos. 
O uso e abuso. 
Uso e abuso, o acabamento, o esfarelamento do corpo. 

Como farrapos que não são, mas como farrapos em que se tornam. 

Esses toques e penetrações, masturbações. Quero que se lixem. Quero que se lixem. 

Vendem o corpo a troco de nada. Aliás, nem vendem. Disponibilizam. Prazer, descrevem... Mas no fundo... Sabem lá. 

Prazer é mais do que isso que querem, do que isso que vivem. Muito mais. Bem mais. 

Falta-vos o prazer do Amor. 

Do Amor próprio, do Amor mútuo, do Amor puro. Daquele Amor que conduz a um prazer muito mais... Intenso. E verdadeiro. Sim, mesmo quando aplicado física e intimamente.

Esses orgasmos que procuram - e muitas vezes nem alcançam - com as mãos, com o toque da pele, com as palmadinhas, o entra e sai, o álcool e o suor são fracos, são efémeros e são vazios. 

Perdem-se na intimidade da noite nua e iludem-se. Esquecem-se de quem são por uma noite, por duas ou três. Iludem-se com os sorrisinhos e gemidos de quem julga estar a viver a vida "forte e feio". 

Amigos, desenganem-se. Tenho uma novidade: 
quando forem f*didos pela vida, essa f*da não vai ter contribuído em nada para a criação de uma ligação que vos impeça de estar sozinhos; quando forem f*didos pela vida ou quando sentirem que se f*deram na vida, essa f*da tão "boa e gostosa" não vos vai trazer de volta aqueles que vocês magoaram, enganaram, traíram, desvalorizaram. 

Então... Esses toques e penetrações, masturbações...
Quero que se lixem. Quero que se lixem.

Vendem o corpo a troco de nada. Aliás, nem vendem. Disponibilizam. Prazer, descrevem... Mas no fundo... Sabem lá. 

Pergunto-me: 
será que se esqueceram ou que nunca sequer viveram a experiência de, mais do que fazer sexo com alguém, fazer amor?   
será que se esqueceram do que é não se sentirem usados ou não usarem alguém?
será que não se valorizam o suficiente para não quererem alguém que vos presenteie com os restos da noite/pessoa anterior e que simplesmente e descaradamente olhe para vocês como alguém descartável, perfeitamente substituível, como... Aquela ganza que roda por todos mas que ao mínimo sinal de perigo é imediatamente jogada fora? 

E não. Não escrevo isto sequer a criticar o sexo casual em si mesmo. Não é da minha conta e está, obviamente, ao critério de cada um. Mas... Por favor... Sejam seletivos. Nem que seja... Minimamente... Seletivos. Controlem-se. Respeitem-se. Valorizem-se. 

São pessoas. Pessoas que vivem rodeadas de pessoas, entre pessoas. Algumas pensam, sentem, vivem. Esse vosso prazer instantâneo não é tudo. Principalmente quando pode afetar outras pessoas. Pessoas que se calhar até gostam de vocês. E vice-versa. 

Até porque... Amigos, tenho uma novidade: 
quando forem f*didos pela vida, essa f*da não vai ter contribuído em nada para a criação de uma ligação que vos impeça de estar sozinhos; quando forem f*didos pela vida ou quando sentirem que se f*deram na vida, essa f*da tão "boa e gostosa" não vos vai trazer de volta aqueles que vocês magoaram, enganaram, traíram, desvalorizaram.

Saiam dessa teia... Se ainda conseguirem...

Despir a roupa, qualquer um despe. Já despir a alma...

Acerca de mim

A minha foto
Música. Família. Amor. Amizade. Escrita. A procura por mim mesma. Vida. E é a isto que se resume. Sintam-se à vontade por aqui & enjoy. :)

AUTÊNTICO

AUTÊNTICO
"To avoid criticism say nothing, do nothing, be nothing" ;-)

Em destaque

Meu amor!

Deixa que o poder dos sentimentos opere em ti. Desliga-te de qualquer teoria e pré-concepção. Deixa a descoberto as tuas defesas. Sê como o...

Followers

Visitas

AUTÊNTICO (C) Verónica Silva. Com tecnologia do Blogger.