terça-feira, 11 de outubro de 2011

Amor...


É impressionante como só damos valor e fazemos as devidas homenagens depois do pior acontecer. Quando aquela situação extrema acontece e o limiar do limite com o descontrolo é quebrado. De um momento para o outro, aquela palavra “amo-te” que parecia tão difícil de dizer torna-se banal, face à nossa fraqueza. As lágrimas caem devido à impotência que não dá para deixar de sentir. O coração parece abrir-se num grito que por vezes não sai da forma tão liberal que devia. Talvez por falta da forma para o fazer. Talvez por falta de força naquele momento. A verdade é que fica sempre guardado algum pedaço que simplesmente não consegue sair. Ou não quer sair. Sabem? Dou por mim a pensar que se calhar a morte é a melhor amiga do amor. Porque é face a ela ou ao pensar nela que amamos. Ou que decidimos amar. Às vezes é tarde de mais para podermos ouvir um “eu também” ou ver aquele sorriso de certa forma simples mas caloroso e carinhoso que desejamos ver vezes e vezes sem conta. Sim, nós amamos todos os dias, sentimos realmente amor por algo ou por alguém todos os dias. O problema é que o guardamos só para nós quando devíamos estar a aproveitar cada momento para mostrá-lo, para dizê-lo. O problema é que há sempre alguma razão, alguma desculpa para complicarmos tudo. Ou são os estereótipos, o medo, a vergonha… Enfim… Deixamos que os maus sentimentos passem por cima do que deveríamos viver a cada momento.
Eu não quero ser assim. De nada me servia estar a escrever sobre isto se no fim esperasse que vocês dessem o primeiro passo, para eu seguir o exemplo. Por isso, vos digo:
Eu amo a Vida. Com os bons e maus momentos, pessoas, lugares ou atos. Eu amo a minha mãe, os meus irmãos, os meus avós, amo o meu pai e todo o resto da família, mesmo que existam problemas paralelos. Eu amo os meus amigos. E amo ainda mais aqueles/as que de uma forma inexplicável, entraram na minha Vida e que eu não consigo deixar sair de forma alguma. Eu amo o brilho e o calor do Sol a bater-me na cara quando simplesmente fecho os olhos e deixo que a minha mente voe. Eu amo os sorrisos e os risos que vejo das pessoas que mais amo, ou até mesmo de pessoas que não conheço. E os meus sorrisos e risos também. Amo a forma como o meu irmão às vezes me chateia e eu me defendo com argumentos que jamais serão igualáveis aos dele. Amo a sua inteligência. Amo a Música! Amo acordar, pôr os phones no ouvido, sair para a rua, apanhar o ar fresco da manhã e só os tirar ao final da tarde para depois continuar a ouvir música no pc. Amo-o a ele de uma forma que não dá para legendar. Amo a forma como vivemos a nossa amizade. Apenas sei que amo a forma como o meu corpo reage ao ver que estou à distância de um clique para lhe falar ou até mesmo à distância de um passo para o abraçar. Simplesmente amo tudo isto. Amo sem saber o que é amar. Apenas sei que é uma sensação boa demais e deve ser partilhada. Não serei a única pessoa no Mundo a não saber o significado de amor mas ainda assim senti-lo. Por isso, acredito que vocês compreendem. 
Amem. Amem tudo o que está à vossa volta, amem tudo aquilo que querem amar ou que simplesmente amam. Mas não guardem só para vocês. Partilhem! Partilhem para nunca terem que sentir o que muitos já sentiram e faziam tudo para voltar atrás. Partilhem a tempo de ouvir aquela resposta ou aquele sorriso de que tanto gostam e desejam ver. O mais provável é que ele apareça…

Verónica Silva

Evanescence - My Immortal
P.S.: O vídeo não me pertence! :)


7 comentários:

  1. amei amei amei *-*
    2ª melhor amiga ily <3

    ResponderEliminar
  2. ESTÁ LINDOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO !
    muito obrigada mesmo querida $:

    ResponderEliminar
  3. A Verónica já pensou em ser escritora além de cantora? :D
    Isto está Brilhante!

    Fica à DICA! xD
    PARABÉNS. Continua...

    ResponderEliminar
  4. Fantástico Verónica! É sempre óptimo escrevermos o que nos vai na alma e no coração, principlamente se o fizermos com a inspiração, com que tu o fazes! Parabéns! "Amor, é fogo que arde sem se ver, é ferida que dói e não se sente, é um contentamento descontente, é dor que desatina sem doer..." Luís Vaz de Camões
    Parece antiquado, mas se pensarmos bem, este soneto está sempre atual! Beijinhos

    ResponderEliminar
  5. Olá Daniel!
    Por acaso já pensei em tentar publicar um livro... É mais um dos meus sonhos :)
    Obrigadaaa *-*
    Beijinhos!

    ResponderEliminar
  6. Olá, srª Carla!
    Obrigada!
    Sim concordo completamente com o que disse :)
    Beijinhos!

    ResponderEliminar

Acerca de mim

A minha foto
Música. Família. Amor. Amizade. Escrita. A procura por mim mesma. Vida. E é a isto que se resume. Sintam-se à vontade por aqui & enjoy. :)

AUTÊNTICO

AUTÊNTICO
"To avoid criticism say nothing, do nothing, be nothing" ;-)

Em destaque

Meu amor!

Deixa que o poder dos sentimentos opere em ti. Desliga-te de qualquer teoria e pré-concepção. Deixa a descoberto as tuas defesas. Sê como o...

Followers

Visitas

AUTÊNTICO (C) Verónica Silva. Com tecnologia do Blogger.